Artur Gomes - Juras Secretas - não fosse esse punhal de prata ou se mesmo fosse e eu não dissesse


18/11/2006


césar castro - transpirações gráficas

Injúria secreta

 

suassuna no teu corpo

couro de cor compadecida

ariano sábio e louco                                

inaugura em mim a vida

pedra de reino no riacho

gumes de atalhos na pedreira

menina dos brincos de pérola

palavra acesa na fogueira

pós os ismos tudo é pós

na pele ou nas aranhas

na carne ou nos lençóis

no palco ou no cinema

o que procuro na palavras

é clara quando não é  gema

 

até furar os meus olhos

com alguma cascata de luz

devassa quando em mim transcende

a lamparina que acende

e transforma em mel o que antes era pus

 

Artur Gomes

http://arturgomes.zip.net

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

 

 

 

Escrito por fulinaima às 11h08
[ ] [ envie esta mensagem ]

16/11/2006


baladas blues poesia  entre e ouça:

http://www.soundclick.com/fulinaimasaxbluesepoesia

http://www.soundclick.com/arturgomesfulinaima

http://www.soundclick.com/fulinaimaoutrasvozesoutrasfalas

 

 

Escrito por fulinaima às 13h30
[ ] [ envie esta mensagem ]

15/11/2006


césar castro - transpirações gráficas

Jura secreta 29

 para michèlle sato

 

eu sei de gentes e bichos

ambos atolados no lixo

tem gente que come bicho

tem bicho que come gente

tem gente que vive no lixo

tem lixo que mora no bicho

gente que sabe que é bicho

e bicho que pensa ser  gente

 

eu sei de entradas e meios

inteiros  meio-ambiente

meio que explode de lixo

lixo que serve pra gente

gente que cala e é bicho

bicho que nunca foi gente

e a gente só sabe ser lixo

se não desfaz o lixo da gente

 

Artur Gomes

http://arturgomes.zip.net

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

Escrito por fulinaima às 13h24
[ ] [ envie esta mensagem ]

12/11/2006


vermmer além  da alma - césar castro - transpirações gráficas

 

Jura Secreta 28

eu sou drummundo

e me confundo

na matéria

amorosa

posso estar

na fina flor

da juventude

ou atitude

de uma  rima primorosa

e até na pele/pedra

quando me invoco

e me desbundo

baratino

e então provoco

umbarafundo

cabralino

e meto letra

no meu verso

estando  prosa

e vou pro fundo

do mais  fundo

o mais profundo

mineral

guimarães rosa

 

arturgomes

http://arturgomes.zip.net

http://almadepoeta.com/fulinaima/htm

 

 

 

 

Escrito por fulinaima às 20h22
[ ] [ envie esta mensagem ]